sexta-feira, 23 de abril de 2010

Novi(mal)dade!


   Olhares fuziladores te perseguem pelo corredor e te fazem pensar sobre o que elas estão decodificando com os próprios olhos. Alvos de ataques de meninas que se acham o máximo e pensam que podem contar tudo sobre a vida alheia e sair ilesas; mas nem sempre são as populares. Todas temos um instinto de falar, contar, intrigar, fofocar.
   A fofoca nada mais é do que uma rede de notícias. Nossos informantes são as bocas e ouvidos de quem estava na hora errada no lugar errado ou na hora certa no lugar certo. Algumas não são boas, outras humilhantes, às vezes são aquelas fofocas que te deixam popular; mas na maioria te fazem chegar em casa e cair na cama, pensando como você foi deixar escapar uma coisa dessas de você mesmo.
   Conversa e fofoca são duas coisas distintas, na conversa você pode falar mal dos outros, falar mal de você, e aquilo fica entre as pessoas do grupo. Fofoca é quando você fala mal de você e dos outros e alguém sem querer, mas querendo escuta e vê uma possibilidade de conversa, só que isso se torna uma fofoca.
   Claro que algumas pessoas preferem dizer que não são fofoqueiras, são apenas informantes, colaboradoras da fala. Para mim é saber das novidades e espalhar, já que é novidade é uma coisa nova e espontânea; mas nunca se sabe quando essa ‘novi’dade vira uma ‘mal’dade.

--
Pauta para Bloínques, 5ª edição opinativa. Tema: Fofoca.

4 opiniões:

Biia. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Biia. disse...

É complicadoo isso, gostamos de falar da vida alheia, muiitas vezes coisas ruins .. mas não suportamos que falem de nós. Acho que devemos nós por no lugar das pessoas que são alvo das fofocas, e veer o mal que a estamos fazendoo. Talez seja uma maneira de agir de forma melhor.

Tudo Girl! disse...

aa eu adoooro ouvir fofocas :)
até gosto q falem de mim (MAS SE FOR MENTIRA EU NAO ADMITO!) pq aí, ficarei conhecida! :D
adorei o texto.
:*

Patrícia disse...

Caraca, que perfeito! Você escreveu muito bem, adorei o final do texto.

Não seja um leitor silencioso. Comente!