quarta-feira, 28 de abril de 2010

A vingança III


   Eu realmente estava assustada, nunca me passou pela cabeça a Beatriz ser uma vampira. Ela andava no sol, comia e bebia normalmente e nunca atacava ninguém. Beatriz saiu do carro e segurou o meu braço, respirando fundo, sentindo o meu cheiro.
   -Uma lobisomem de raça pura, veja só.
   -Como você conseguiu se esconder este tempo todo?
   -Sabe-se que eu sou imortal; eu tenho duas escolhas: viver normalmente com imortalidade ou beber sangue humano e ser vulnerável ao sol, água benta e esquartejamento, ainda imortal. Eu só escolhi as duas.
   -Mas como? – Beatriz torceu meu braço e pegou o outro, fazendo-os latejar de dor.
   -Algumas vezes eu saio para caçar, eu não fico fora muito tempo, quando volto me tranco na minha casa e fico escondida alguns dias. O efeito passa e eu me sento mais forte e continuo imortal. – Cheirou-me mais uma vez e falou no meu ouvido aos sussurros – Você parece ter um gosto bom.
   Joguei-a para trás e fiquei em posição de defesa.
   -Você acha que vai conseguir me pegar? – Disse enquanto fazia círculos na terra com o pé. – Eu sou mais rápida, mais ágil, mais forte, mais esperta; que um cão.
   Dei um salto em sua direção e com um movimento ela já estava me segurando pela cabeça.
   -Viu?
   Passei a pata sobre a sua cintura mordendo o seu cabelo enquanto ela se virava para me chutar; bati contra o carro. Levantei-me ainda não acreditando que ela estava lutando comigo.
   -Você é minha amiga!
   -Sabe por que vampiros não têm cachorros? Por que eles comem.
   Deu um salto em diagonal e só vi o seu vulto sobre as minhas costas.
   -Quer saber como é ser vampiro? – E me mordeu.
   Cai do carro e rolei na terra, ficando imóvel por alguns minutos enquanto ela me fitava, depois de ter bebido um pouco o meu sangue e injetado seu veneno. Vi meus pêlos desaparecendo, meu tamanho diminuindo, voltando ao normal; a não ser o fato de eu ter dentes afiados e estar pálida, muito pálida.
   -O que você fez comigo?
   -Um favor, veja só como você esta: branca, olhos dourados, cabelo sedoso, magra mas forte, rápida e inteligente, com feições perfeitas e acima de tudo, imortal.
   -Por que os meus olhos são dourados e os seus vermelhos?
   -Porque eu acabei de beber o seu sangue, bobinha!
   -Quer dizer que você vai morrer?
   -Por que morreria, por quê você era um lobisomem?
   -Não, pois você esta no sol.
   Ela arregalou os olhos e virou-se na direção do sol, seu cabelo ficou loiro, na sua pele começou a surgir bolhas vermelhas e seu rosto estava derretendo. Ela se virou para mim e deu um passo, esfarelou-se.
   Olhei atentamente as cinzas de Beatriz, eu teria que viver a vida dela de agora em diante, não poderia voltar para a minha família lobisomem. Olhei para o sol que nada fazia comigo, levantei do chão, soltei a poeira de terra grudada em mim e chutei as cinzas de Beatriz, sendo levadas pelo vento.
   Peguei a minha bolsa que fora jogada longe desde a primeira luta, olhei o horizonte e sai correndo, com a minha nova velocidade de vampiro e sumi floresta a dentro.

(Fim)

6 opiniões:

Publicidade de Salto disse...

Muito bom! Parabéns.
Conheça nosso blog:
http://publicidadesaltoalto.blogspot.com/

Quem sabe eu me chame Madalena?, ou não. disse...

a que liindo, dá até pra imaginar as cenas *-*
adorei o blog parabéns
visite o meu
http://diaariodamadalena.blogspot.com

Erica Lopez disse...

adorei *u*
Beatriz é muito Vic *u*

Chris disse...

Meldels!!!
Que fim dramatico!
Tipo, fiquei presa aqui sem respirar até o ultimo ponto querendo saber o que iria acontecer e foi muito o fim.!

C. disse...

nossa! só li esse post da história, mas já me impressionei, parece que tenho mais um blog pra seguir (:

Henrique Nogueira disse...

gostei MUITO do seu blog ! *-*

se quiser dar uma olhadinha no meu, tá aí:
http://stoupy.blogspot.com/

bjks :*

Não seja um leitor silencioso. Comente!