domingo, 2 de maio de 2010

Coisas entre o Céu e o Inferno


   Ela voltou para o jornal com o troféu de melhor jornalista do século. Era difícil acreditar que Lois chegaria a um ponto tão alto de sua vida: entrevistar o diabo.
   Uma semana atrás ela fora despedida de seu emprego antigo e vagava pelo cemitério chorando no túmulo de sua mãe, lamentando-se por decepcioná-la; ela não conseguiu ver a filha se formar e agora ela havia perdido seu terceiro emprego em cinco meses. Falou algumas palavras emboladas e um buraco profundo se abriu no chão, engolindo-a.
   Acordou em um lugar escuro, sem vida. Via almas passeando pelo teto e o chão era quente e sujo como o de um vulcão. Ela apertou os olhos e olhou para longe, viu um ser pequeno, não mais de um metro se aproximar, suas orelhas eram chifres pontiagudos e ele era vermelho, com bochechas enormes. O ser se aproximou com um ajudante do lado, parecia te uns dois metros e um rosto muito ovalado, meio rosado:
   -Ela esta na lista? – Perguntou o baixinho.
   -Não senhor, parece que ela caiu aqui sem querer.
   -Tudo bem, qual o seu nome querida? – Disse o ser esquisito que tinha uma voz finíssima, comparada a uma cantora de ópera.
   -Lois, Lois Grahber.
   -Olá Lois, eu sou o Diabo...
   Ela levantou-se rapidamente antes dele terminar a frase, olhou profundamente em seus olhos que ardiam em chamas.
   -Diabo? – Gaguejou. – Eu estou no inferno?
   -Sim, esta! Mas foi um engano e logo estaremos te enviando de volta sem nenhum dano, sua hora ainda não chegou.
   Estando ali, no inferno e na presença do grandioso diabo, ela viu uma chance que nunca teve. Abriu sua bolsa, pegou a caderneta e a caneta.
   -Posso te entrevistar?
   -Como assim? – Ele fez de desentendido com a sobrancelha.
   -Entrevistar-te, para o jornal.
   -Eu não dou entrevistas.
   -Você pode ficar mais famoso. – Ela usou sua arma secreta contra o seu ponto fraco, ser mais famoso que o próprio Ser grandioso que esta no céu.
   -Tudo bem, pergunte o que quiser.
   E assim se passaram horas, ficaram conversando como se não houvesse amanhã.
   -E a última pergunta: como você se sente sendo entrevistado por uma mortal que não é uma das suas almas trancafiadas?
   -Sinto-me estranho por você esta aqui fazendo estas perguntas, mas ao mesmo tempo vejo uma chance inacreditável se me tornar mais grandioso do que Ele.
   -Essa foi à última pergunta, agora eu tenho que voltar.
   -Sim, eu entendo. Merlin! Faça que ela volte para o mundo dela!
   Ela caiu desmaiada e acordou no cemitério, dormindo ao lado do túmulo de sua mãe. Revirou a bolsa e viu que estava com a caderneta e a entrevista. Olhou novamente e viu sua câmera e pensou na oportunidade que ela perdeu de tirar uma foto dele; passando as fotos da câmera viu que Merlin, o ajudante, havia tirado fotos dele, do inferno e da entrevista sem ela notar. Ela viu a grande chance de ser a maior jornalista do mundo.
   Ligou para os seus contatos e foi para o The New York Times, publicou a sua matéria com as fotos e toda entrevista, e como estava se sentindo. Ganhou o prêmio de melhor jornalista do século, recebeu muito dinheiro, ficou famosa e agora, estava humilhando os jornais de quinta em que trabalhou.
   Passado sete anos, Lois bateu de carro e morreu. Acordou em um lugar macio, branco, olhou para cima e viu anjos tocando harpas. Visualizou um portão imenso de ouro se abrindo e Deus, com seus anjos e arcanjos ao lado vindo falar com ela.
   -Bem vinda ao Céu. Você agora é um anjo, deixou sua vida mortal para trás para se tornar imortal, aqui no Céu.
   -Nossa, eu sou um anjo. – Confirmou ao levantar-se e flutuar, com as novas asas.
   -Agora, Lois, você vai me contar uma coisa. Como é o inferno?
   -Como assim, Deus?
   -Eu quero saber de tudo o que você viu lá, o mal não pode reinar e você foi à escolhida para ir ao inferno e vir ao céu; para a paz reinar novamente. Quero saber todos os detalhes, a fraqueza dele, seus hábitos, realmente tudo.
   Quem diria que Deus, o rei de todas as coisas me faria à escolhida para trazer a paz de volta ao mundo, sem o mal. Ninguém tinha pensado nessa hipótese lá embaixo.

--
Pauta para Once Upon a Time, 42ª edição. Tema: Ninguém tinha pensado nessa hipótese.

P.S. Vote em mim para o melhor blog aqui.

4 opiniões:

Ana Carolina Lima Da Rosa disse...

aaaaaadorei sua historia :D

Jaqueline Jesus disse...

ooi Fernanda.
tem selo pra vc no meu blog :)
passa lá.

Jaqueline Jesus disse...

são todos os selos linda :D

Jaqueline Jesus disse...

aah desculpe não ter dado minha opinião nos comentários anteriores.
seu texto ficou lindo *-*
parabens !

Não seja um leitor silencioso. Comente!